Até agosto, os clientes do Sucão pouparam mais de uma tonelada de carne

Até agosto, os clientes do Sucão pouparam mais de uma tonelada de carne

Optando por pratos vegetarianos/veganos, é estimado que os clientes da rede de alimentação saudável Sucão tenham poupado 1,2 toneladas de carne até agosto deste ano. 

Entre janeiro e agosto de 2019, a rede forneceu 14570 refeições sem carne. Calculando que a quantidade média de proteína servida nos pratos não vegetarianos do Sucão é de 87,14g, chegamos no número aproximado de 1269 Kg de carne que foram substituídos por produtos de origem não animal.

Escondidinho vegano de shimeji e abóbora cabotiá

 

Se pensarmos essa quantidade poupada como sendo em carne de frango, os clientes do Sucão, ao optarem pelas opções sem carne, pouparam um equivalente à quase 5 milhões de litros de água. Levando em conta que cada quilo de frango, para ser produzido, consome em média 4300L de água. 

Em um dia, essa quantidade de água seria suficiente para atender quase 45 mil brasileiros!

O Sucão não é uma rede de alimentação vegana. Tão pouco queremos forçar nossos clientes a deixar de consumir carne. Porém, compreendemos o impacto ambiental causado pela produção de carne no planeta.

Por isso fazemos questão de oferecer também produtos livres de qualquer componente de origem animal. Dessa forma, podemos atender e respeitar a todos aqueles que decidiram por levar sua alimentação baseada somente em produtos de origem vegetal. Bem como aqueles que, vez ou outra, optam por não comer carne.

Prato vegano de quibe de girassol, salada de rúcula e arroz sete grãos

 

“Juntamente com a SVB (Sociedade Vegetariana Brasileira), fizemos uma revisão no cardápio, mudamos processos e excluímos a manteiga e leite de alguns de nossos preparos. Sempre valorizamos as opções vegetarianas e, agora, oficializamos também as veganas para nos tornarmos ainda mais inclusivos”, explica Filipe Falcão, , sócio proprietário do Sucão. Desde o início de outubro de 2018, o novo cardápio está disponível em todas as 24 lojas da rede, presentes em várias cidades do interior de São Paulo, além de Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS) e Curitiba (PA). Nele, o cliente visualiza rapidamente ao lado de cada item correspondente o selo “opção vegana” – identificação que traz segurança e clareza aos consumidores. 

Como o tema ainda gera dúvidas, a SBV oferece gratuitamente essa consultoria para estabelecimentos que queiram se tornar veg-friendly. Assim, por meio do programa Opção Vegana, identifica oportunidades de substituições, sugere fornecedores e desenvolve receitas em parceria com chefs voluntários.

Segundo Elton Bastos, campaigner do programa, as pessoas costumam se surpreender como tudo é muito mais simples do que parece. “As mudanças são simples e valem a pena porque alimentos à base de vegetais costumam ser mais baratos que os de origem animal. Além disso, empresas que oferecem produtos veganos tornam-se mais atraentes”, ele diz. “Se há um vegano num grupo de amigos, este grupo certamente vai buscar um lugar que atenda a todos”, completa.

O Sucão não é vegano. Mas sim democrático! 

Sabemos que estamos no caminho certo! No dia 8 de agosto de 2019, foi publicado um relatório das Nações Unidas referente ao Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). O documento aponta a redução do consumo de carne como forma de mitigar e se adaptar ao aquecimento global.

Segundo o ecologista Hans-Otto Pörtner, co-presidente de um grupo do IPCC. “Nós não queremos dizer às pessoas o que elas devem comer. Mas seria de fato benéfico, tanto para o clima quanto para a saúde humana, se as pessoas de muitos países ricos consumissem menos carne, e se as políticas locais tivessem incentivos para esse efeito.”

 

Confira as opções veganas e vegetarianas em nosso cardápio!

Nenhum comentário disponível

Publique seu comentário: