Veja como a 1ª franqueada fora de SP faz sucesso com variedade de produtos e público corporativo

Veja como a primeira franqueada fora de SP faz sucesso com variedade de produtos e público corporativo

Veja como a 1ª franqueada fora de SP faz sucesso com variedade de produtos e público corporativo

Como todos podem imaginar, o Sucão nasceu com foco na venda de sucos. Mas há muito tempo o produto deixou de ser o único carro-chefe da marca. A gama completa de produtos saudáveis tem cada vez mais destaque para os consumidores e investidores da marca: um caso que comprova isso ocorreu a 1,2 mil km de distância do local de nascimento da marca.

Porto Alegre (RS) é a sede de uma franquia um pouco diferente. Operando desde outubro de 2017, a unidade é a primeira fora do Estado de São Paulo. Localizada no Pátio 24, um mall a céu aberto que fica no “novo centro”, a unidade caiu no gosto dos trabalhadores da região e por isso tem um forte movimento de segunda a sexta. Para a franqueada, Paula Vasconcelos, entre os motivos desse sucesso está a união de vários produtos de qualidade.

“Porto Alegre não tinha nada nesse modelo, agregando alimentação, sucos e sobremesas saudáveis em um só lugar”, conta a empresária, que conheceu o Sucão em uma visita familiar que fez a Campinas (SP), onde um primo possui uma franquia no Shopping Unimart.

“O gaúcho tende a ser bem tradicionalista, geralmente oferecendo resistência a coisas novas. Ainda assim, percebendo a demanda no local e entendendo que a proposta do Sucão se encaixaria perfeitamente dentro do projeto do Pátio 24, percebi que o investimento precisava ser feito”, completa Paula.

Sucão do Pátio 24, em Porto AlegreA novidade deu tão certo que se tornou novidade até mesmo para a franquia Sucão, devido, dentre outros fatores, ao grande sucesso do açaí, que se tornou mais popular até mesmo que os sucos (também muito bem vendidos). Paula conta que os gaúchos têm o hábito consumir a fruta cultivada na Amazônia, mas estavam acostumados a irem em um local só para isso. “A qualidade dos produtos e os valores atrativos chamaram atenção”, diz.

Puxando a fila

O Sucão também ajudou a desenvolver o novo centro comercial da capital gaúcha, pois foi uma das primeiras lojas a abrir no local. Entre a definição do ponto e o primeiro dia aberto ao público foram aproximadamente cinco meses. Além disso, no começo o público era menor porque as pessoas demoravam para entender que estava aberto, segundo Paula. “Mas nosso trabalho e o esforço da franquia deram resultado”, afirma.

Futuro promissor

A empresária via em 2020 um ano muito promissor, pois já tinha recuperado todo investimento feito para ter sua unidade do Sucão e a loja consolidava um crescimento muito grande, ano após ano. Surgiu então a pandemia de Covid-19 e os planos foram adiados, mas as boas expectativas não mudaram.

“Inicialmente tivemos muitos transtornos porque ninguém sabia o que iria acontecer, havia muito receio e alguns funcionários até pensavam que a loja fecharia. Mas após esse primeiro susto, a franquia começou a fazer reuniões online e acalmou todo mundo. Foi uma troca de informações muito boa”, conta Paula, reforçando o amparo que sempre teve.

“Antes da pandemia eles nos visitavam a cada três meses, apontavam questões que poderiam melhorar, elogiavam, estimulavam o lado do franqueado e de quem estava mais distante fisicamente, o que também foi algo novo para eles. Ambos aprenderam muitas coisas desde então” diz a empresária, que já notou melhora no público desde o primeiro impacto da pandemia e que acredita em meses ainda melhores pela frente.

No Comments

Post A Comment